Informação ao Público

<Voltar


Tumores do Rim

Rui Dinis Correia Bento Breu – Assistente Hospitalar – Hospital do Litoral Alentejano


Introdução

Os tumores do rim são raros representando 2% a 3% de todos os tumores sólidos. Apesar desse facto a sua incidência parece estar a aumentar na Europa e no mundo ocidental.

Os factores de risco identificados são o tabagismo, a obesidade e a hipertensão arterial.
 

Sintomas

Actualmente, os tumores do rim são normalmente assintomáticos e são detectados em exames de rotina (frequentemente através da ecografia), correspondendo à fase (estadío) inicial da doença.

Uma minoria dos casos corresponde a estadíos de doença mais avançada e podem manifestar-se por hematúria (sangue na urina), dor abdominal ou lombar, massa abdominal, febre, anemia, emagrecimento, falta de apetite e dor óssea. Estas situações presentemente são raras.
 

Diagnóstico

A ecografia renal realizada no contexto de exame de rotina é a forma mais comum de detecção de uma massa renal sólida no rim (suspeita de tumor do rim).
A realização de tomografia axial computorizada (TAC) permite uma melhor caracterização e estadiamento da doença (figura 1).

 

Figura 1 - TAC com lesão sólida renal correspondendo a tumor do rim
 

Prognóstico

O prognóstico da doença depende do tipo e do volume do tumor do rim, bem como da sua extensão a outros órgãos (metástases).
As metástases são mais comuns nos gânglios linfáticos, pulmão, fígado e osso.
 

Tratamento

O único tratamento curativo para o tumor do rim é a cirurgia, esta consiste na remoção total ou parcial do orgão podendo ser realizada através de via “aberta” ou via laparoscópica.
Na maioria das situações, o outro rim é suficiente para permitir aos doentes uma qualidade de vida normal e sem restrições.

A cirurgia garante uma taxa alta de cura quando o tumor se encontra apenas localizado no rim.

Nos casos de o tumor invadir outros órgãos (metástases) existe a possibilidade da sua remoção cirúrgica ou realização de quimioterapia.
Existem outras técnicas minimamente invasivas não cirúrgicas (crioterapia, radiofrequência) para tratamento do tumor do rim, porém neste momento são experimentais e devem ser aplicadas a casos muito particulares.
 

Outras massas renais

Os quistos renais correspondem às lesões mais frequentemente detectadas na realização da ecografia.

Caracterizam-se por cavidades de conteúdo liquido dentro do rim e apenas uma pequena percentagem dos casos corresponde a lesões malignas.

Os quistos renais encontram-se em 50% da população acima dos 50 anos. Normalmente apenas requerem vigilância.
 

Conclusão

A maioria das massas renais detectadas corresponde a quistos renais (conteúdo liquido) e são benignas.

As massas sólidas do rim correspondem a tumores malignos do rim sendo a maioria descobertos incidentalmente no decurso da realização de uma ecografia de rotina.

O prognóstico dos doentes com tumor renal depende do volume, do tipo e da extensão do tumor a outros órgãos (metástases).

O tratamento curativo do tumor do rim é a cirurgia com a remoção parcial ou total do rim e deve ser realizada sempre que possível.
 

Publicado em Abril 2010