Informação ao Público

<Voltar


Prevenção do Cancro da Próstata

Bruno Alexandre da Silva Graça – Interno de Urologia – Hospital Fernando da Fonseca


Pode-se fazer prevenção do Cancro da Próstata?

O Cancro da Próstata é uma neoplasia passível de adoptar medidas de prevenção, dada a existência de algumas características epidemiológicas e clínicas importantes:

1. Prevalência elevada na sociedade
2. Período de latência clínica prolongado
3. Dependência hormonal
4. Existência de marcador sérico (PSA)
5. Existência de lesões histológicas precursoras (PIN)
 

Quais são os factores de risco para o Cancro da Próstata?

Os estudos epidemiológicos já realizados indicam a existência de 3 factores de risco bem estabelecidos, genéticos (não modificáveis):

1. Envelhecimento
2. Antecedentes familiares (hereditariedade)
3. Raça/etnia

Existem ainda factores de risco ambientais (modificáveis), cujo potencial preventivo ainda é inconclusivo:

1. Dieta/nutrição;
a. Índice de Massa Corporal
b. Ingestão de gordura
c. Micro nutrientes e vitaminas (licopenos, vitaminas C, D e E)
d. Ingestão de fruta e vegetais
e. Minerais (cálcio e selénio)
f. Fito-estrogéneos (isoflavonas, flavonóides, ligninas)
2. Exercício físico regular
3. Hábitos sexuais e etanólicos
4. Exposição ocupacional
 

Como prevenir o Cancro da Próstata?

A prevenção do Cancro da Próstata, pode passar pelo controlo dos factores de risco ambientais, apesar da evidência clínica da sua eficácia ser fraca, controversa e muitas vezes inconclusiva. Sabemos no entanto, que indivíduos com a mesma carga genética (ex. asiáticos) que vivem em áreas geográficas diferentes (ex. EUA) apresentam risco de desenvolver Cancro da Próstata semelhante ao que existe no país anfitrião. Daqui se pode concluir da grande importância dos factores ambientais no desenvolvimento desta neoplasia maligna.
 

Existem medicamentos para prevenir o Cancro da Próstata?

A prevenção do Cancro da Próstata tem actualmente uma área de estudo importante: a prevenção farmacológica, ou quimio-prevenção. A actuação de certas drogas ao nível do metabolismo da testosterona intraprostática (inibidores da 5α-reductase); na indução da morte celular inibindo o crescimento tumoral (estatinas); ou na acção anti-inflamatória (inibidores da COX-2) tem levado à crescente utilização daquelas drogas em ensaios clínicos para determinar o seu potencial preventivo.

O inibidor da 5α-reductase finasterida, aparece em vários estudos que suportam o seu potencial preventivo na ordem dos 25%, especificamente para adenocarcinoma da próstata bem diferenciado (baixo grau) detectado por biopsia prostática. Existem também já alguns resultados com a dutasterida que demonstram um benefício semelhante.

Não existe ainda comprovadamente, qualquer fármaco que reduza efectivamente o risco para Cancro da Próstata de alto grau (mais agressivo clinicamente).
 

Deve-se fazer a prevenção do Cancro da Próstata ?

Podemos dizer que existem factores de risco genéticos estabelecidos que não podem ser prevenidos e factores de risco ambientais múltiplos cuja evidência clínica é insuficiente para recomendar a sua prevenção no Cancro da Próstata.

A quimio-prevenção tem sido amplamente ensaiada, mas ainda se aguardam orientações da Associação Europeia de Urologia no sentido de efectuar a sua recomendação generalizada.

Publicado em Janeiro 2010