Associação Lusófona de Urologia

<Voltar


Declaração de Intenções e Objectivos

 

Associação científica, sem fins lucrativos, representativa da Urologia e dos que a praticam nos Países de Língua Portuguesa, fundada em 09/11/2009, em Goiânia, Brasil, com sede em Lisboa, Portugal.

Objectivos:

Fomentar acções institucionais que visem o estudo, a promoção, o desenvolvimento, o progresso, a investigação, o ensino, e a divulgação da Urologia e dos que a praticam, nos países e regiões lusófonas, num espírito de diálogo, colaboração e inter-relacionamento; incentivar, expandir, divulgar e representar a Urologia lusófona em âmbito internacional; dialogar e cooperar com outras instituições lusófonas, médicas ou não, que tenham como objectivo uma aproximação dos países de língua portuguesa.
Aproximar, em termos técnico-científicos e sócio-profissionais, toda a comunidade urológica de língua portuguesa, bem como as suas confederadas, Associação Portuguesa de Urologia e Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos de Portugal, Sociedade Brasileira de Urologia, e outras Associações Científicas ou Colégios de Urologia de outros países lusófonos que se venham a formar.

Início

Fundação
e Breve História

Declaração de Intenções
e Objectivos

Estatutos

Corpos Gerentes

Sócios Fundadores

Contactos

 

Estimular a criação de Associações Científicas ou Colégios de Urologia em países lusófonos em que elas ainda inexistem.

Criar e manter uma página na Internet, para comunicação e divulgação.

Promover acções concretas de colaboração na área da Urologia e dos seus praticantes, no âmbito científico-pedagógico, de investigação, divulgação, ensino, treinamento, assim como nos campos assistencial e organizativo.

Criar vias de acesso para parcerias entre Serviços Urológicos de referência internacional visando treinamentos, cursos, estágios ou reciclagem de urologistas lusófonos.

Realizar a cada dois anos um Simpósio Lusófono de Urologia, inserido nas programações dos Congressos da Associação Portuguesa e da Sociedade Brasileira de Urologia, provisoriamente, até a criação de novas Confederadas.

Estabelecer um meio oficial de comunicação científica urológica lusófona, Jornal (ou Boletim) da Pró-Associação Lusófona de Urologia, e estimular a publicação de artigos científicos ou de opinião relacionados com a Urologia.

Agir no campo social visando estabelecer campanhas públicas relacionadas com a área da Urologia nos países lusófonos.

Manter uma biblioteca e um museu especializado em Urologia lusófona.

Criar um símbolo ou marca para a (Pró-)Associação Lusófona de Urologia.

Confeccionar o Estatuto e Regimento Interno da Pró-Associação Lusófona de Urologia.

Catalogar, cadastrar e instituir regras para admissão de membros associados nos países lusófonos, definindo os seus direitos e deveres, como também admitir membros correspondentes estrangeiros de outros países.

Instituir regras para a formação e definição de competências de uma Directoria, incluindo as partes deliberativa, executiva, financeira e administrativa: Presidente, Vice-Presidente, Secretário, Tesoureiro e Delegados, além de Assembleia Geral e Conselho Fiscal. Criar, em futuro breve, Comissões Científica, Administrativa e Ética.

Arregimentar meios económicos através de auxílios, doações, parcerias, patrocínios, pagamentos de anuidades (quotas), eventuais pagamentos de inscrições nos Simpósios Lusófonos de Urologia, ou outros meios, para manter os custos com a Instituição.

Instituir a “Associação Lusófona de Urologia” quando para tal houver condições, com a criação de Associações (ou Colégios) de Urologia Confederados em todos - ou na maioria - dos países ou regiões lusófonas.